Motoboys

Feb 23rd, 2011 | By | Category: Motoqueirismo, Posts

Motivos para Andar de Moto

Cada motoqueiro tem uma infinidade de motivos para andar de moto. Sempre é difícil classificar as coisas, mas acho que essas motivações podem se enquadrar em três classes:

  • Individualidade. Uma das razões para pilotar uma moto é a experiência das sensações físicas –  movimento, aceleração, vento – e  mentais  – contemplação do mundo, concentração, compreensão da máquina, dúvidas sobre a morte, sonhos. Experiências internas.
  • Imagem. O motoqueiro também anda de moto para se expressar – status, rebeldia, estilo – e para se encontrar com pessoas com os mesmos interesses – motoclubes, associações, grupos formados na internet, barzinhos. Comunidade.
  • Necessidade. Andar de moto também pode ser uma obrigação, seja para o transporte ou para o trabalho. Sobrevivência financeira.

Para mim, a essência da moto é mesmo a individualidade. O que mais importa são as experiências físicas e mentais que se tem em cima de uma moto. Acho que deve ser muito angustiante andar de moto só por necessidade, e muito vazio ter uma moto só para fazer parte de uma comunidade. Mas é claro que as outras motivações também são bem-vindas, pois é bom pertencer a um grupo e ser útil à sociedade.

Eu recebo muitas críticas dizendo que essa visão é ingênua. Para muitos, andar de moto ou é uma forma de fazer amigos ou então é uma necessidade de transporte. Eu simplesmente não consigo acreditar nisso. Para mim, existe uma experiência física e mental que é única na pilotagem de uma moto. Essa experiência une a todos os motoqueiros.

Usos da Moto

Outra forma de classificar a experiência do motoqueirismo é como a moto é usada: esporte, lazer, transporte ou trabalho. Como eu me interesso por estudar a cultura das motos, sempre estou à procura de material.

  • Esporte. Bem discutido nas revistas e na televisão. De uns tempos para cá deixaram de lado as discussões técnicas e esportivas, dando muita importância ao espetáculo. Tendem a mostrar apenas as competições “seguras”.
  • Lazer. A maior fonte de informação são os grupos de discussão da internet. Há alguns livros também, mas na maior parte são dos EUA ou Europa.
  • Transporte. Em muitos países as motos são a principal forma de deslocamento, mas é quase impossível encontrar qualquer coisa organizada sobre o uso da moto para transporte pessoal.
  • Trabalho. Aqui no Brasil temos uma certa produção cultural (músicas, teses, revistas, lendas urbanas, documentários) dedicadas ao uso da moto no trabalho. Não é muita coisa ainda, mas é mais fácil do que a parte de transporte.

Motoboys

Nessa minha busca de material sobre o motoqueirismo, encontrei algum material interessante sobre os motoboys. Parece que eles harmonizam a experiência da individualidade, a construção de uma imagem e a satisfação de uma necessidade. Usam a moto por lazer, esporte, transporte e trabalho. Talvez sejam os motoqueiros mais completos por aí.

Músicas

Trabalhos Acadêmicos

Há um conjunto legal de trabalhos acadêmicos disponíveis na internet. Segue uma pequena lista:

  • Acidentes de Trânsito com Envolvimento de Motociclistas: Uberlândia 2002 a 2004 – Rejane Maria da Silva
  • Ases do Asfalto: Vitimização e Responsabilização no Trabalho de Motoboys de Salvador – Maria Angélica Riccio Oliveira
  • Moto-Boys de Porto Alegre: Convivendo com os Riscos do Acidente de Trânsito – Andréa Márian Veronese
  • Os Motoboys no Globo da Morte: Circulação no Espaço e Trabalho Precário na Cidade de São Paulo – Ricardo Barbosa da Silva
  • Fúria em Duas Rodas – Cleber Arruda, Renato Lavdovsky, Ronaldo Sanaie, Tiago Ferreira, Vitor Davied
  • Modos de Trabalhar e de Ser de Motoboys: a Vivência Espaço-Temporal Contemporânea – Carmem Ligia Iochins Grisci, Priscila Daniel Scalco, Mayara Squeff Janovik
  • “Motoboys”: The Visible Urban Face of Cyberspace in São Paulo City – Eduardo Sampaio Nardelli
  • Pelo Espelho Retrovisor: Motoboys em Trânsito – Augusto Stiel Neto, João Mutaf e Silvia Avlasevicius
  • Avaliação de Stress em Motoboys – Lélio Moura Lourenço e Lucas de Azevedo Martins
  • Fatores de Risco de Acidentes na Atividade dos Motoboys: Limites das Análises Quantitativas – Thiago Drumond Moraes
  • Coletivo de Trabalho e Atividades de ‘Motoboys’ – Thiago Drumond Moraes
  • As Condições Acidentogênicas e as Estratégias de Regulação dos Motociclistas Profissionais – Eugênio P. H. Diniz
  • Atuação Profissional de Motoboys e Fatores Associados à Ocorrência de Acidentes de Trânsito em Londrina, PR – Daniela Wosiack da Silva
  • Motociclistas Profissionais: a Percepção da Categoria Quanto ao Risco de Acidentes de Trânsito – Felipe Ferreira de Ferreira e João Fortini Albano
  • Motorcycle Safety: a Scoping Study – M A Elliott, C J Baughan, J Broughton, B Chinn, G B Grayson, J Knowles, L R Smith and H Simpson
  • Por Que os Motociclistas Profissionais se Acidentam? Riscos de Acidentes e Estratégias de Prevenção – Eugênio Paceli Hatem Diniz, Ada Ávila Assunção e Francisco de Paula Antunes Lima

Documentários e Filmes

Notícias

Humor

Blogs e Websites

Uma website muito legal na internet é o canal*MOTOBOY. É um projeto em que 12 motoboys registram o que acontece em seus celulares. Uma crônica muito especial da vida do motoboy. Há uma série de projetos paralelos, que podem ser acessados no lado esquerdo da página do canal.

A Busca

Agora estou na procura do seguinte material:

Tags:

4 Comments to “Motoboys”

  1. Excelente levantamento feito sobre os motoboys. Para quem deseja uma lista completa sobre o tema entre em contato. Sou um dos coordenadores do projeto canal*MOTOBOY (www.megafone.net) e autor organizador do livro Coletivo canal Motoboy – O Nascimento de uma Categoria – Editora Aeroplano – 2010 – e curador da Semana de Cultura Motoboy em Sao Paulo.

  2. magnani says:

    Olá Eliezer. Obrigado pelo elogio, mas esse texto é só uma porta de entrada nesse universo dos motoboys. Vem cá, eu não consigo acessar o material do canal*MOTOBOY (http://www.megafone.net/SAOPAULO/intro.php?qt=0). Quando eu tento, até abre uma página, mas sem nenhum link para o conteúdo. Ah… já encomendei o livro. Só tenho pena que São Paulo seja um pouco longepara eu conhecer a Semana de Cultura Motoboy. Abraço e obrigado pela visita.

  3. MARCELO says:

    Salve Fábio,você ainda está procurando o documentário MOTOBOYS-VIDALOCA? Eu tenho ele,porém tenho que achar na minha bagunça…se quizer posso te emprestar…sem problemas!

    Grande abraço!

  4. magnani says:

    Oi Marcelo, quero sim. Não consegui encontrar. Abraço.

Leave a Comment

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.