Lajedo Pai Mateus-PB

14.12.2008

Registro do Passeio ao Lajedo do Pai Mateus – Cabaceiras-PB – 14/12/2008

Como de costume, saímos às 5 da matina para um bate-volta de domingo. O roteiro até Queimadas-PB (180 km de distância) – que eu, o Geraldo e o Erivan percorremos – foi o mesmo da viagem para o Boqueirão-PB no mês passado: passando por Vitória do Santo Antão-PE, Limoeiro-PE e Aroeiras-PB. A média de velocidade foi relativamente alta (85 km/h), se considerarmos o trecho de serra entre Bom Jardim-PE e Aroeiras-PB.

Em Queimadas-PB, como combinado, encontramos o pessoal que vinha de João Pessoa-PB e Campina Grande-PB. Denny, Emano, Bacanex, Mauro, Hussein, Sílvio, Fernanda, Júnior e Monique. Tomamos café na padaria “Point do Pão” e seguimos para o Lajedo do Pai Mateus-PB. A trupe agora era formada por 10 motos (sendo duas com garupa).

Sem problemas nos 24 km entre Cabaceiras e o Lajedo. Mesmo as motos estradeiras, a BMW do Erivan e a CB 500 do Mauro, andaram pela estrada de terra batida. Chegando ao Lajedo fomos recepcionados no Hotel Fazenda Pai Mateus. Lá cada um pagou R$ 5,00 como taxa de utilização do parque, o que dava direito a um guia.

O Lajedo é um grande morro de pedra, no meio da caatinga. Essa região é reconhecida como a de menor quantidade de chuva em todo o Brasil. Devido ao relevo e facilidades da prefeitura, já foram rodados 22 filmes por lá. Como chamativo turístico, resolveram colocar uma grande placa “Roliúde Nordestina”, como uma brincadeira à verdadeira Hollywood.

Passeamos por cerca de uma hora no lajedo. Como sempre, uma grande experiência que não pode ser transmitida facilmente em palavras. Só que esteve lá pode saber o que sentiu.

Voltamos para o Açude do Boqueirão-PB para almoçar. O Erivan, como combinado antes de sairmos de Recife-PE, voltou sozinho, porque tinha um compromisso profissional. O restante do pessoal foi comer uma carne de bode completa ao lado do açude. Nada mal por uma refeição de R$ 8,00 a cabeça.

Tivemos tempo ainda para um banho no açude, mas poucos tiveram a coragem de pagar esse mico: Fábio, Denny e Emano. Quem não teve coragem ficou passando calor mesmo… hehehe

A volta também foi tranqüila, pelo mesmo caminho da ida. Eu e o Geraldo quase não pegamos movimento. O único ponto baixo foi a minha moto que teve um consumo muito alto durante a viagem. Hora de uma nova carburação…

Legal conhecer todo mundo que eu ainda não conhecia. Pena que não tivemos muito tempo para conversar. Espero que seja o primeiro de vários.

Valeu!

Tempo total de passeio: 12 ½ horas
Quilometragem total: 532 km.

Fotos:

A turma toda no meio da caatinga:

Primeira foto oficial: Monique, Júnior, Fernanda, Sílvio, Hussein, Emano, Geraldo, Erivan, Denny, Mauro, Fábio e Bacanex.

O tal do lajedo. Não dá para mostrar em uma foto como essas pedrinhas são grandes…

Açude ao pé do lajedo:

A casa do Pai Mateus:

Dá para ver toda a região dali de cima:

Fábio:

Segunda foto oficial:

Quem disse que o Denny não encontra capacete para ele?

A macadada:

Um momento meigo…

A cambada bancando geólogos:

A Roliúde Nordestina:

Igreja onde foi filmado o Auto da Compadecida:

Hora da bóia:

Mais uma foto na estrada: