Visão Geral dos Filmes de Moto

Pelos últimos textos, dá para perceber que gosto muito de livros. Mas talvez goste mais ainda de filmes. A minha relação com os dois é um pouco diferente. Nos livros procuro informação e novas formas de pensar. Leio com calma, para ter tempo de entrar na mente do escritor. Já com os filmes o que eu quero é entretenimento e inspiração. Só relaxar.

Depois que comecei a me interessar por motos, passei também a procurar mais filmes com esse tema. Alguns são exatamente sobre motociclistas, já outros apenas contém cenas legais.

Talvez o filme mais importante de todos seja O Selvagem (The Wild One), com Marlon Brando. Embora a história tenha sido baseada em fatos reais de uma quebradeira feita por uma gangue de motociclistas, o filme teve uma repercussão muito maior que o evento original, servindo como inspiração deste estilo para todo o mundo. Muitos acreditam que toda essa estética/ética de grupos de motociclistas violentos vestidos de jaquetas pretas venha deste filme de 1953. Um caso típico em que a vida imita a arte.

O segundo filme mais importante sobre motociclismo é Sem Destino (Easy Rider), de 1969. O filme mostra uma dupla de motociclistas andando sem rumo pelos Estados Unidos, em uma viagem impregnada das drogas, sexo e rock´n´roll do final dos anos 60. O filme trás também a música “Born to Be Wild”, da banda Stepenwolf, que viria a se transformar no hino do motociclismo.

Um filme menos conhecido, mas do mesmo tipo do Easy Rider, é Girl on a Motorcycle. Lançado um ano antes, tem os mesmos elementos: música, drogas, sexo, viagens mentais etc. Mas passa na Europa, e o motociclista é a motociclista. Vale a pena.

O Selvagem da Motocicleta (Rumble Fish), filme de 1983, dirigido por Coppola, com Matt Dillon, Nicolas Cage, Mickey Rourke e Dennis Hopper , conta a história de um rapaz que quer viver os tempos de glória de seu irmão mais velho. Mas nesses novos tempos não há mais lugar para honra nem gangues. Cada um por si. O filme, quase todo em preto e branco, tem um clima pesado. Mas a experiência de assisti-lo é libertadora.

Desafiando Limites (The World’s Fastest Indian) traz a história verdadeira do neozelandes Burt Munro, que bateu o recorde mundial de velocidade com uma moto nas décadas de 50 e 60. O piloto modifica sua própria moto antiga e apesar da idade um pouco incomum para esse esporte, consegue lutar honradamente pelos seus sonhos. Inspirador.

Diários de Motocicleta (The Motorcycle Diaries) é o filme sobre a juventude de Che Guevara, quando sai pela América do Sul para uma viagem de moto em companhia de um amigo. Além das paisagens impressionantes, o filme mostra também as condições em que os trabalhadores viviam naquela época. Ao ver como as pessoas viviam longe dos bairros burgueses das capitais, Che Guevara sente as grandes injustiças do mundo. Podemos ser contra as idéias de Che Guevara. Podemos ser contra as ações de Che Guevara. Mas é quase impossível não aceitarmos o que Che Guevara sentiu quando viu as pessoas naquela situação. Voltando ao filme, as cenas em cima da moto são hilárias. A moto já é bem usada na época que saem em viagem, e os dois não são os melhores pilotos do mundo.

Em geral eu não tenho essa frescura de ficar dizendo que o livro que originou um filme é necessariamente melhor. Mas no caso do Motoqueiro Fantasma (Ghost Rider), acho que os quadrinhos são sim muito melhores. Parece que eles tentaram baixar a faixa etária no filme, sumindo com muito da violência e dor psicológica do Motoqueiro Fantasma. Mas mesmo assim as cenas com a moto de ossos são muito bem feitas. No final das contas o filme é bem divertido.

Para quem não se leva muito a sério, o filme ideal é Motoqueiros Selvagens (Wild Hogs). Nele quatro amigos frutrados com a vida saem pelos Estados Unidos em busca de algo que lhes falta. No caminho vão se metendo em um monte de enrascadas, mas também construindo uma sólida amizade e, principalmente, o respeito por si próprio.

Fúria em Duas Rodas (Torque) é um filme de seção da tarde. O que para mim é um elogio! Aventura típica entre o bem e o mal. Com grandes cenas de pegas nas estradas e cidades. O filme foi um fracasso de bilheteria e de crítica. É considerado cópia de outros filmes para adolescentes, como Rápidos e Furiosos. Ainda, seria apropriado para uma faixa mental de 7 anos de idade . Mas eu gosto mesmo assim. Pronto!

Há também os filmes que não são sobre motociclismo mas que têm cenas clássicas com motos. Um exemplo é a franquia de O Exterminador do Futuro (The Terminator) em que o andróide quase sempre está em cima da sua Harley Davidson. No quarto filme as motos acabam sendo um tipo de exterminador. O filme Fugindo do Inferno (The Great Escape) tem a cena mais clássica do motociclismo no cinema. Nessa cena, o personagem vivido por Steve McQueen tenta escapar de um campo de concentração com uma motocicleta. Salta a primeira cerca de arame farpado, mas fica preso na segunda. Existia uma lenda em que o próprio McQueen tinha feito a cena, mas logo foi desfeita. Embora ele quisesse fazer a cena, os produtores não quiseram arriscar a perder o ator principal no meio das filmagens. Mas isso não o impediu de se disfarçar de soldado alemão durante as filmagens e personificar um dos seus perseguidores.